partes de uma faca

Você sabe quais são as partes de uma faca? A Cutelaria CIMO te ensina!

Nas facas, há muito mais que apenas a lâmina e o cabo – apesar dessas serem as duas áreas mais conhecidas pelo grande público. Quer ter mais propriedade no momento de analisar, comprar e usar suas peças favoritas? Para isso, saber como se chama e como se constitui cada parte de uma faca é fundamental.

No post de hoje, mostraremos de maneira didática como identificar e nomear cada detalhe do utensílio, além de comentar um pouco sobre suas funções. Fique com a gente, prepare o papel e a caneta para anotar e aumente seu conhecimento cuteleiro!

Conhecendo as partes da faca

Para que você possa absorver tudo de maneira bem didática, trataremos das partes de uma faca . Para isso, as dividiremos em duas seções: partes da lâmina e partes da empunhadura.

Antes de começar, lembramos que não existe um consenso geral para as nomenclaturas que vamos usar aqui. Esses nomes podem variar muito entre países ou mesmo entre regiões – portanto não se assuste ao se deparar com especialistas usando nomes bem diferentes.

O importante é focar nos aspectos práticos, aqueles que afetam o funcionamento da faca e podem até te tornar capaz de diferenciar modelos bem semelhantes. Preparado(a)? Olha só:

Partes da lâmina

Intuitivamente, essa parte você já conhece: é a porção metálica utilizada para cortar ou perfurar. O curioso é que, nessa região, até as mudanças mais sutis podem transformar por completo a peça. Veja:

  • Dorso:

Área da lâmina oposta ao fio. Essa é a região mais estrutural e mais relevante para a resistência da peça, conferindo força contra torções e impactos. Pode contar ou não com detalhes especiais como os serrilhados, muito comuns nas facas de sobrevivência.

  • Desbaste:

É a parte da faca que define a geometria da lâmina. Se inicia no dorso e vai até o fio, afilando-se mais e mais até a região de afiação. Para que você compreenda melhor, pense no significado do nome. Ele vem do verbo desbastar, que significa “limpar removendo o excesso”. Essa é a área da lâmina que foi lixada para que o fio pudesse existir. Como você já viu nos produtos CIMO, existem vários tipos de desbaste.

  • Ponta:

Inconfundível parte responsável pela perfuração. Existem infinitos tipos de ponta, e alguns exemplos são o clip point (ponta côncava), drop point (ponta baixa) e a spear. Aliás, seria interessante um post completo só com os tipos de desbaste e ponta, não? Responda pra gente nos comentários!

  • Fio ou gume:

Essa é a parte “afiável”, a principal região responsável pelo corte. Se estende do ricasso à ponta. Pode existir dos dois lados ou apenas de um dos lados da lâmina. Quer saber como afiar sua faca? Temos um post completinho: “Como afiar sua faca? Dicas e sugestões práticas”!

  • Falso fio:

Algumas facas e canivetes apresentam um falso fio no dorso. Sua função é apenas intensificar o potencial de penetração, sem cortar de fato. No caso das adagas, porém, há fio dos dois lados – e o dorso passa a ser chamado de espinha.

  • Mosca:

Essa é uma concavidade existente no dorso das facas mais pesadas. Sua função é diminuir o peso da lâmina pela retirada de matéria da região. Também pode aumentar a resistência.

  • Ricasso:

Parte inicial da lâmina, visível logo depois da empunhadura. Ela não sofre nenhum tipo de desbaste ou recorte e oferece muito mais resistência à peça como um todo.

Partes da empunhadura

Chegamos ao local da faca em que a seguramos. Ela deve ser confortável e anatômica, de modo com que você consiga manusear a peça de maneira segura. Olha só como cada parte da empunhadura é importante: 

  • Espiga:

Essa é a união entre a lâmina e o cabo. Pode ser explicada como a região da lâmina que se estende para dar suporte aos materiais da empunhadura. Novamente, existem alguns tipos de espiga, e os mais comuns são o perfil integral (em que a espiga ocupa toda a extensão do cabo), perfil parcial (a espiga é menor que o cabo) e perfil estendido (a espiga vai além do cabo, mostrando-se um pouco na retaguarda da faca).

  • Guarda:

Essa região tem um nome autoexplicativo, e sua função é proteger a mão da pessoa que está empunhando a faca, para que não deslize e se corte com a lâmina.

  • Pomo:

Parte mais larga no final do cabo. Sua função é dar a empunhadura um formato mais anatômico e seguro, além de proteger a mão de quem estiver utilizando-a. Também pode prover um contrapeso à faca e ser uma ótima adição estética. 

  • Pinos ou rebites:

São as hastes metálicas que prendem o cabo à espiga. Podem ser maciços ou vazados. Pinos vazados, inclusive, podem ser usados para inserir o paracord ou a corrente.  

Esperamos que tenham gostado desse aulão de anatomia cuteleira! Para mais posts como esse, não deixe de acompanhar nosso blog. Temos textos novos todas as semanas, sem falta. 

E claro, não poderíamos deixar de te convidar para seguir nossa página no Instagram, que já é um incrível ponto de encontro da comunidade cuteleira. Em nosso perfil postamos novidades da loja, dicas e fotos. Apareça por lá!

Até a próxima, cuteleiros!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *