como fazer fogo primitivo

Como fazer fogo primitivo de 6 maneiras: o guia completo

Acampar é muito bom, principalmente para quem gosta de aventura e desafios. Caso você esteja indo para um camping, seja em uma praia ou em alguma cidade que tenha rio e cachoeira, com certeza irá encontrar uma estrutura mínima para se acomodar com tranquilidade, como banheiros, fogão e geladeira.

Entretanto, se você é mais radical e prefere se aventurar em meio à natureza, o nível de dificuldade aumenta. Aí, é preciso estar realmente preparado para enfrentar situações inusitadas, como fazer fogo sem fósforo ou isqueiro.

Saber fazer fogo primitivo é uma habilidade incrível que com certeza fará de você um sobrevivencialista muito melhor! No post de hoje, portanto, trouxemos dicas imperdíveis para que você domine a arte de fazer fogo! Confira:

Por que devo saber fazer fogo primitivo?

Acampar em meio à natureza exige mais do que apenas coragem, já que você precisará de equipamentos e de experiência para lidar com todo e qualquer tipo de situação. Afinal, a sua sobrevivência pode depender de saberes específicos, como fazer fogo de modo primitivo.

Já dissemos várias vezes aqui em nosso blog que levar instrumentos para fazer fogo é fundamental. Mesmo assim, tenha sempre em mente que, quando o assunto é acampamento, absolutamente tudo pode acontecer! Você pode perder seu equipamento em uma situação de fuga ou molhá-lo quando estiver atravessando um trecho de algum riacho ou cachoeira – e essas são só algumas das hipóteses.

O fogo é um dos elementos centrais da sobrevivência e o segundo recurso que se deve buscar em uma situação limite. Sem fogo, o abrigo fica desprotegido contra predadores, não é possível ferver a água para se hidratar de maneira segura nem cozinhar alimentos. A fumaça ainda pode ajudar a afastar mosquitos e sinalizar sua localização para um possível socorro.

Por isso saber fazê-lo de maneira primitiva – ou seja, sem quaisquer utensílios – é uma habilidade tão importante para quem deseja se aventurar precavido. Quer aprender de fato? Então separe seu guia de aventuras e anote tudo para não passar perrengue!

Fundamentos do fogo primitivo: o que você deve saber antes de começar

Todas as técnicas de fogo primitivo precisam de três elementos básicos: calor, oxigênio e combustível. Esses são, obviamente, os componentes do “triângulo do fogo”, fatores necessários para que se inicie a reação em cadeia que produz a chama.

No fogo primitivo, na maioria das vezes, seu calor será provido por fricção, utilizando dois elementos secos e propícios à faísca. O combustível é chamado de mecha, e frequentemente é composto de madeira seca, material mais inflamável disponível nas situações de sobrevivência. O oxigênio, ou comburente, alimenta a chama recém criada e facilita a queima da mecha.

Nesse processo a água é sua inimiga, portanto procure por elementos bem desidratados. Bons candidatos a mecha são palhas, cascas secas de coco, folhas secas de palmeira e bambus. Para a base e graveto de fricção, escolha madeiras igualmente secas com densidades adequadas para que não se quebrem ou furem antes do aquecimento necessário.

Com o básico explicado fica bem mais fácil compreender as técnicas. Siga a leitura e coloque tudo em prática com a gente:

Técnica 1: fogo com palha vegetal e gravetos secos (hand drill)

fogo com gravetos secos

Comecemos pela maneira mais clássica e popular de se fazer fogo primitivo. É provável que muitas pessoas já tenham ouvido falar nessa técnica, seja nos tempos de escola, nas aulas de história ou ciências, em filmes ou em algum documentário na televisão. Consiste em friccionar dois gravetos para gerar uma faísca que fará com que a palha vegetal seca (rama, folhas secas ou cascas de árvore) pegue fogo.

A técnica é bastante instintiva e, por já fazer parte do imaginário popular, muita gente julga ser fácil de realizar. Muito pelo contrário: ela é trabalhosa, demorada e exige muita prática, tanto para realizar os movimentos quanto para encontrar os insumos adequados na natureza.

Para que a faísca aconteça, tanto sua palha quanto seus gravetos precisam estar completamente secos, e não podem estar apodrecendo. Friccionar gravetos verdes não funcionará, pois a água que os compõe evita a formação da chama. Por essa razão, essa é uma técnica especialmente difícil de aplicar em biomas muito úmidos, em que todo o substrato é permanentemente coberto por vapor e orvalho. Nesse caso, prefira outras maneiras de obter chama.

Como fazer: com um dos gravetos entre as suas duas mãos e outro no meio da palha seca, faça o movimento de broca, gerando a fricção necessária para ocasionar um superaquecimento em um ponto do graveto. Assopre constantemente para auxiliar o processo. Cuidado com o início da chama, que precisa ser alimentada rapidamente com mais substrato.

Técnica 2: fogo com bambu seco

fogo com bambo

Nossa segunda técnica é uma versão da técnica anterior, dessa vez usando bambu. Nela, você precisará essencialmente de um pedaço muito seco da planta e, com ele, já poderá produzir uma mecha eficiente usando raspas pequenas. É uma opção interessante para ser usada em biomas onde materiais secos são escassos.

Como fazer: faça um pequeno furo em um dos bambus para colocar a palha, com o outro pedaço, friccione com movimentos precisos e constantes. Mais uma vez, assopre para que as faíscas entrem em contato com a mecha, alimentando a nova chama.

Técnica 3: fogo com arco e broca (bow drill)

fogo com arco e broca

O bow drill – ou “broca com arco” – é uma sofisticação muito interessante das técnicas de fricção tradicionais. Pode ser feita com bambu ou outros gravetos, e é importante que sua base tenha uma densidade relevante que aguente a alta fricção sem partir.

Com um fio e um graveto, você deverá confeccionar um arco. Esse fio pode ser um cipó, um cadarço ou fibras vegetais verdes, bem resistentes e maleáveis. É só prender as duas pontas do fio às pontas do graveto, e seu arco estará completo. Enrole uma seção do fio em seu seu segundo graveto, e estará pronta sua broca.

fogo com arco e broca bow drill

Como fazer: assim como na técnica anterior, faça uma concavidade na madeira de base, onde será posicionada uma parte da mecha. Posicione a broca na concavidade e inicie a fricção, movimentando o arco de maneira horizontal. Essa técnica produz uma fricção muito mais rápida e intensa, sem ferir ou cansar tanto as mãos.

Técnica 4: fogo com pedras

Esse método também povoa a imaginação popular como a maneira mais primitiva de produzir fogo, usada pelos neandertais. Nela, mais uma vez, você precisará da palha vegetal seca para sua mecha. É possível utilizar, também, um pequeno pedaço de tecido e um facão.

Selecione duas pedras para compor os elementos de fricção. Elas não devem ser muito pesadas ou densas, para que o movimento das batidas seja possível. As popularmente chamadas “pedras de fogo” são cascalhos comuns, secos e lisos, fáceis de encontrar em diversos biomas.

Como fazer: é possível criar a faísca batendo as duas pedras, método mais difícil, ou batendo o facão sobre a pedra. Nessa técnica, o ponto crucial é o transporte da faísca à mecha, que estará distante do ponto de fricção devido aos movimentos de batida. Use uma mecha muito seca e tente aproximá-la ao máximo.

Ressaltando que essa tática demandará bastante força. Algumas pessoas usam o tecido fixado com os dedos entre as pedras para tentar agilizar o processo.

Técnica 5: fogo usando lentes

fogo com lente

Você provavelmente já ouviu falar dessa técnica e até mesmo tentado fazer quando criança. Ela consiste em usar a luz do sol refletida e concentrada por uma lente. Você pode utilizar tanto uma lupa ou lentes de óculos, se alguém do grupo os utilizar. Lembrando que o sol deve estar a pino, com total intensidade e calor. Isso quer dizer que só se pode utilizar essa técnica em dias bem limpos.

Como fazer: incline a lente em direção ao sol até que ela crie um círculo de luz na palha vegetal seca. Você deverá testar ângulos diferentes até encontrar exatamente o facho de luz mais concentrado possível. Aí é só ter paciência e alimentar sua chama.

Técnica 6: utilizando um canivete ou uma faca e uma pederneira

fogo com perdeneira

Por último, temos uma técnica semi primitiva, pois vamos lidar com ferramentas que necessitam ser levadas ao acampamento.

Uma pederneira é um instrumento feito de Sílex (uma rocha sedimentar, constituída a partir do quartzo criptocristalino, um material duro de elevada densidade), que contém magnésio, ou seja, um item específico para fazer fogo.

A grande vantagem de ter um equipamento como esse é que, se molhar, basta secá-lo em um paninho ou até mesmo na roupa. Ter uma pederneira em seu kit de sobrevivência na selva é sempre uma ótima recomendação.

Como fazer: Tenha um bom canivete ou uma faca de camping, separe a palha vegetal seca e, com a pederneira e seu canivete ou faca em mãos, faça um movimento como se estivesse afiando a lâmina da ferramenta. Isso resultará em muitas faíscas que cairão na palha seca e iniciarão o fogo. Vá soprando aos poucos para que as brasas aumentem e coloque gravetos secos maiores por cima. O fogo vai se espalhar aos poucos.

E aí, gostou das ideias para fazer fogo de forma primitiva? Lembre-se: conhecimento sem treino não te deixa preparado. É necessário praticar antes de sair e consolidar suas habilidades!

Dicas para fazer uma fogueira com segurança

Outra dica valiosa para fazer fogo em um acampamento em meio à selva é escolher muito bem o local em que irá acender a fogueira. Lembre-se de retirar tudo o que possa ser inflamado de perto. O ideal é que você faça uma limpeza no ponto que irá fazer a fogueira.

Outra questão para se atentar é a localização da sua barraca em relação ao fogo. Barracas, geralmente, são feitas de materiais sintéticos que são facilmente inflamáveis.

A maioria dos aventureiros acende a fogueira à noite, momento em que o frio costuma se fazer presente e também para cozinhar alimentos para o grupo. Por isso é importante ter atenção: todos estarão cansados e podem facilmente pegar no sono quando se instalarem em suas barracas. As brasas demoram para apagar por completo, então observe se há nada que possa pegar fogo próximo a elas.

Gostou das nossas dicas? Esperamos que, agora, você esteja mais informado e preparado para encarar a sua próxima aventura. Dúvidas ou sugestões? Conte tudo nos comentários. Respondemos todos!

Confira mais informações sobre acampamento, bushcraft e sobrevivencialismo aqui no blog da Cutelaria Cimo – e lembre-se, atualizamos toda semana.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *